Cuidados na hora de construir ou instalar uma piscina

Arquiteta dá dicas para ajudar na escolha do tipo de piscina e no local da instalação 

Ter uma piscina em casa é o sonho de muitos brasileiros e, de uns anos para cá, este sonho vem se tornando mais fácil de ser realizado. Hoje, encontramos diversos tipos de piscina e, com isso, temos maior variedade de preços que podem se encaixar melhor no seu orçamento. Outro fator positivo para começar a instalar sua piscina agora, é a chegada do inverno – a estação é a mais propicia para construir uma área de lazer devido à falta de chuva que faz com que as obras andem mais rápido e, o melhor, tudo fica pronto a tempo para a chegada do verão.

A arquiteta Tânia Fernandes já trabalhou em várias construções de áreas de lazer e alerta para os cuidados que devem ser tomados em relação ao solo onde ficará a piscina. “O primeiro passo para ter uma piscina é definir onde ela será instalada. É preciso tomar cuidado com plantas que procuram por água, como é o caso da ficus, que penetra sua raiz pelas tubulação e pode chegar até mesmo a trincar as piscinas. Em alguns casos específicos, é necessário realizar um teste de solo, o resultado desse estudo leva até 21 dias para ser concluído”, explica.

Após isso, é hora de pensar na funcionalidade da piscina. Não se pode simplesmente construí-la em qualquer lugar do lote, é necessário um estudo para encontrar um local que receba uma boa quantidade de luz solar, além de identificar o tamanho da área de lazer para construir uma piscina no tamanho propício para o local. “Temos que prestar atenção em pequenos detalhes que podem passar em branco durante a construção e só serem percebidos na hora de usufruir do resultado. Exemplos disso seriam o cuidado com a captação da água que escoa da piscina quando ela está sendo utilizada; deixar uma boa área de circulação ao redor da piscina; ou simplesmente fazer o acabamento da borda com um material que não seja cortante, trinque, esfarele ou desgaste”, indica a arquiteta.

Outra opção bacana é sair do básico e usar a criatividade para fazer a piscina se tornar mais ideal ao seus gostos. “Se você prefere usar a piscina durante a noite, invista em iluminação interna e em um aquecedor de água ou, quem sabe, isole uma parte da piscina e construa uma hidromassagem. Se ela será um local para o lazer das crianças, instale um escorregador para aumentar ainda mais a diversão”, indica a arquiteta.

Hoje em dia os tipos de piscinas mais comuns são as de fibra de vidro, alvenaria e vinil, e elas variam muito no preço e na utilidade. A arquiteta Tânia Fernandes explica melhor qual a diferença de um tipo para o outro e quanto custa para instalar cada uma.

Fibra de vidro: São bem simples de instalar, basta cavar o terreno, encaixar a piscina, nivelá-la e fazer as ligações de águas e bombas. Uma piscina com metragens de 7×4 metros quadrados custa em média R$ 15 mil.

Alvenaria: São um pouco mais complicadas, fora todo o processo de preparação do terreno que é feito na de fibra de vidro, ainda é necessário construí-la com sistema de tijolo estrutural, e isso requer um pouco mais de cuidado com a mão-de-obra na hora de executá-la. Se for mal feita, pode trincar, rachar ou vazar devido a pressão e o peso da água. Uma piscina de alvenaria com 7×4 metros quadrados sai em torno de R$ 35 mil.


Vinil: Quando instaladas em tamanhos menores, as piscinas de vinil não necessitam nem de uma preparação do terreno, podendo ser instaladas ao redor de um deck de matéria. Por ser mais simples de instalar, a piscina de vinil é a que custa menos, uma de 7×4 metros quadrados custa em média R$ 8 mil.

Fonte: Redação.
TAG