Moradores podem pedir visita da Defesa Civil para avaliar riscos

Dona de casa em Planaltina recebeu equipe da subsecretaria após estragos causados por forte chuva

Moradores podem pedir visita da Defesa Civil para avaliar riscos

Enquanto as equipes estão nas ruas, não param de chegar novos chamados. Em época de chuva, a Coordenação de Operações, da Subsecretaria de Proteção e Defesa Civil, da Secretaria da Segurança Pública e da Paz Social, atende a mais de dez solicitações de moradores por dia. Somente em 2015, foram mais de 2 mil atendimentos desse tipo, em várias partes do Distrito Federal. No Setor de Indústria e Abastecimento, quatro grupos revezam-se em plantão de 24 horas, sem contar os funcionários do expediente normal, que somam mais cinco duplas e também atendem a demandas quando necessário.

A assistência do órgão pode ser solicitada por qualquer pessoa que perceba avarias na estrutura do imóvel, como rachaduras, infiltrações ou trincas. A Defesa Civil vai ao local e avalia a gravidade. Um termo com diagnóstico fica pronto na hora e muitas vezes é preciso que os agentes acompanhem a situação por um tempo para checar se os danos pioraram.

Quando se trata de algo mais grave, um engenheiro também comparece e dá instruções de como corrigir o problema para evitar perda da estrutura. Conforme o caso, o lugar pode ser interditado e os moradores, encaminhados para casas de parentes ou albergues. 

Preocupação social
Nas emergências, uma equipe especializada analisa ainda o estado de vulnerabilidade de cada família e presta auxílios, com a entrega de cestas básicas, por exemplo. "Nosso trabalho é identificar riscos, sejam eles estruturais ou sociais", resume o coordenador de Operações, major do Corpo de Bombeiros Militar Sinfrônio Lopes.

A dona de casa Priscila Meire de Santos, de 27 anos, foi uma das pessoas que já recebeu ajuda da Defesa Civil em 2016. Mãe de quatro filhos, ficou sabendo do serviço depois de procurar o Centro de Referência de Assistência Social de Planaltina e ser orientada a ligar para a subsecretaria. Segundo a moradora, a estrutura da residência onde vive há cinco anos foi danificada depois de uma chuva forte em dezembro do ano passado. "Fiquei com medo de a casa cair", desabafa. Após minuciosa análise, constatou-se que as rachaduras não representam risco iminente.

As visitas podem ser solicitadas pelo telefone 3362-1934, de segunda a sexta-feira, das 8 às 18 horas, ou pelo celular 9427-5076, em regime de plantão. Em casos de emergência, deve-se acionar o Corpo de Bombeiros Militar, pelo 193.
TAG