CEB orienta estudantes sobre riscos de acidentes elétricos

Escolas públicas e particulares interessadas em receber ação preventiva podem pedir a visita da equipe da companhia

A Companhia Energética de Brasília (CEB) lançou, nesta segunda-feira (4), a campanha Energia Elétrica não é Brincadeira. O objetivo é alertar estudantes para os perigos de fazer gambiarras, montar andaimes e antenas próximo à rede elétrica, jogar e tentar retirar objetos na rede e utilizar postes como suporte para adereços.

Nesta semana, servidores da CEB passarão por escolas do Itapoã, de São Sebastião e de Sobradinho II. Os primeiros alunos a receberem a campanha foram 60 jovens do 9º ano, de 14 e 15 anos, do Centro de Ensino Fundamental 4, no Setor Leste do Gama. “É uma ação muito importante, pois são informações do cotidiano desses adolescentes”, avalia a vice-diretora da instituição, Yolanda Sales. Durante todo o mês de julho, qualquer escola pública ou privada pode pedir a presença dos técnicos da companhia. Basta agendar uma data pelo (61) 3465-9010.

Com suporte de vídeos, panfletos informativos e palestra, a campanha Energia Elétrica não é Brincadeira orienta sobre as formas de evitar acidentes em residências e em redes de distribuição. “A ideia é que esses alunos multipliquem as informações”, explica Raphael Santos, diretor de Gestão da CEB Distribuição, um dos órgãos do grupo que forma a sociedade mista da CEB.
Medidas de segurança para evitar acidentes elétricos

Durante a atividade, os participantes são orientados a evitar o uso de muitas tomadas ou extensões em um mesmo local, tomar cuidado com as pipas na rede de eletricidade e não afixar enfeites juninos ou de qualquer outro tipo em postes, entre outras medidas de segurança. “Enfatizamos a questão de não usar o celular quando estiver carregando a bateria”, aponta o diretor, em relação ao risco de choques e até de explosões. De acordo com ele, 75% dos incêndios residenciais têm origem em acidentes elétricos.

A CEB investiu R$ 215,4 mil na produção do material para a campanha, com verba própria destinada a ações educativas.
TAG